Aforismos e HQforismos do Ciberpajé

De acordo com alguns dicionários de filosofia, aforismos são proposições que exprimem de maneira sucinta uma verdade, uma regra ou uma máxima concernente à vida prática (Abbagnano, 2007). Hilton Japiassú & Danilo Marcondes (2006) definem, “o estilo aforismático é característico de filósofos e pensadores tão diversos quanto, por exemplo, Nietzsche e Wittgenstein, e reflete, sobretudo no pensamento moderno e contemporâneo, uma concepção filosófica mais questionadora, provocativa e sugestiva do que propriamente teórica e sistemática”.
A origem dos aforismos é difusa. Contudo, inicialmente essa palavra foi usada de forma específica para indicar as fórmulas que exprimem, de forma sucinta e mnemônica, fundamentos da arte médica tendo Hipócrates como precursor (Abbagnano, 2007). Hipócrates é considerado o ‘pai da medicina’, nasceu na Grécia, no período de 460 a.C. Na Grécia antiga, os aforismos eram utilizados para transmitir conhecimentos, uma vez que a base do ensino era através do diálogo, sobretudo segundo o nascimento das ideias, no pensamento socrático.
Alguns pesquisadores têm feito aproximações entre aforismos e literatura, primeiro porque muitos autores literários o escrevem, e segundo porque muitos aforismos possuem de fato uma estrutura narrativa. Como exemplos de escritores aforistas no Brasil podemos destacar: Machado de Assis - que incluía muitos aforismos em suas notórias crônicas (Schneider, 2009); Guimarães Rosa na sua obra mais festejada “Grande Sertão: Veredas”, inclui também aforismos (Mascarenha, 2011), já o poeta Carlos Drummond De Andrade escreveu um livro só de aforismos. Nessa obra, Drummond, logo no título, propõe a provocação para que o leitor vislumbre “O Avesso das coisas”, ou seja, convida a uma reconversão do olhar sobre a vida e ressalta que seus aforismos são apenas um dos pontos de vista possíveis - o dele - entre tantos possíveis; suas visões de experiências vividas.
Enquanto artista transmídia, Franco divulga amplamente suas obras artísticas através da internet, e desde 2010, posta diariamente em sua rede social, suas reflexões poético-filosóficas e iconoclastas sobre aspectos da vida, suas visões de mundo humana e pós-humanas, em forma de sentenças aforismáticas, sempre assinando com sua persona “Ciberpajé”. Franco declarou-se Ciberpajé no dia 20 de setembro de 2011, para celebrar uma espécie de renascimento ao completar 40 anos de idade. Através de uma contagem regressiva diária, o artista desenhou uma “chave de transmutação” por dia ao longo de 10 dias, essas chaves significaram valores importantes para o artista naquele momento. A transmutação de Edgar Franco em Ciberpajé envolveu aspectos performáticos, sobretudo nas performances cíbridas realizadas pelo projeto musical performático Posthuman Tantra ambientado na Aurora Pós-Humana.

Esses aforismos hoje são parte de uma coletânea que soma mais de uma centena de páginas e é a semente do Livro “Aforismos do Ciberpajé” que está sendo organizado. Franco quando criou a Aurora Pós-Humana, a desenvolveu sob a perspectiva de autores, obras, conceitos e experiências que o inspiraram, e os aforismos do Ciberpajé, são, portanto, também parte desse universo, uma vez que as bases ideológicas deste universo ficcional são componentes do ideário do artista, em constante transformação e mutação durante sua vida. São assertivas de sua visão de mundo, publicados tanto em suporte internet, quanto em jornal impresso de uma cidade do município do triângulo mineiro.



Fonte: FRANCO, E.S. FORTUNA, D. B.S. Livro Aforismos do Ciberpajé (no prelo)

Curta e acompanhe a página de Aforismos do Ciberpajé no facebook!

Conheça alguns aforismos do Ciberpajé:

EM BREVE



HQforismos: Um novo formato.

HQforismos é um neologismo criado pelos autores deste artigo (Barros & Franco, 2013), que agrega HQ (histórias em quadrinhos) e aforismo. Segundo o pesquisador Edgard Guimarães (2003), a união de textos e imagens é o conceito base das Histórias em Quadrinhos (HQs), perspectiva por nós utilizada.
Dr. Elydio dos Santos Neto em sua pesquisa de pós-doutorado em artes na UNESP, investigou as “histórias em quadrinhos poético-filosóficas” como um gênero genuinamente brasileiro. Santos Neto (2009, p.90) resumiu as características principais dessas HQs:
São, portanto, três as características que principalmente definem uma história em quadrinhos poético-filosófica: 1. A intencionalidade poética e filosófica; 2. Histórias curtas que exigem uma leitura diferente da convencional; 3. Inovação na linguagem quadrinhística em relação aos padrões de narrativas tradicionais nas histórias em quadrinhos.

Portanto, nos HQforismos convergem: a linguagem das HQ (texto e imagem) e dos aforismos com verve poético-filosófica. O que caracteriza e diferencia os HQforismos das demais HQs poético-filosóficas é o fato de sempre se apresentarem na forma de uma única imagem/desenho e o texto aforístico que a acompanha.. Uma forma de narrativa visual contemporânea que se encaixa muito bem aos novos formatos digitais pela rapidez de sua leitura e absorção no fluxo dinâmico das redes telemáticas, o que facilita sua difusão. 

Franco destaca que “os HQforismos do Ciberpajé integram o gênero de quadrinhos poético-filosóficos, por manterem suas características básicas (experimentalismo, brevidade e intencionalidade filosófica), por apresentarem conexões óbvias com a tradição narrativa das HQs e a tradição filosófica dos aforismos” (Barros & Franco, 2013). Os personagens desenhados nos HQforismos são criaturas da Aurora pós humana, bem como os aforismos que o compõem, são parte desse ideário do artista.

Conheça alguns HQforismos do Ciberpajé:

EM BREVE